VOCÊ SABIA? MÁ HIGIENE BUCAL PODE ATACAR O CORAÇÃO

Uma bactéria que se aloja na boca pode produzir problemas circulatórios e bloquear a passagem de sangue até o coração ou o cérebro. Isso é comprovado por um estudo que demonstra, mais uma vez, por que é importante manter as gengivas e os dentes limpos e saudáveis.

Uma visita ao dentista pode beneficiar muito mais do que simplesmente a condição em que se encontra a sua boca. Sabe-se há algum tempo que as infecções na boca podem ter um impacto profundo em todo o corpo. Por exemplo, as pessoas com diabetes são mais propensas a desenvolver doenças nas gengivas, como a gengivite, que se caracteriza por vermelhidão, irritação e inflamação das gengivas, bem como sangramento das mesmas ao escovar os dentes.

ma-higiene-bucal-pode-atacar-o-coracao-1-676x288

Outros estudos relacionam os problemas na boca com perda de memória, demência e problemas cardíacos. Este é o caso da pesquisa que te contamos neste outro artigo de Saúde Dicas, “Escovar os Dentes é bom para o Coração”, de acordo com a qual escovar seus dentes após cada refeição reduz as chances de que você sofra um ataque cardíaco.

Agora, um estudo nos dá mais informação sobre este tema: foi comprovado que certo tipo de bactéria oral (conhecida como Streptococcus gordonii, que contribui para a formação de placa na superfície dos dentes), pode por sua vez conduzir à formação de coágulos no sangue e causar problemas graves no coração se a bactéria entrar na corrente sanguínea através das gengivas lesionadas.

Como o faz? Aparentemente, esta bactéria pode produzir uma molécula em sua superfície que lhe permite imitar uma proteína humana, o fibrinogênio, que participa no processo de coagulação do sangue. Ao ativar as plaquetas, estas vão se aglomerando ao ponto de formar coágulos que se acumulam dentro dos vasos sanguíneos, inflamando-os até o ponto de bloquear o fluxo de sangue para o coração ou para o cérebro. A inflamação também pode afetar as válvulas cardíacas (causando uma condição conhecida como endocardite). A bactéria não apenas se “disfarça” de fibrinogênio, mas também conta com a proteção dos próprios coágulos que ajudou a formar, já que estes servem de escudo contra o sistema de defesa do corpo e os antibióticos que são usados para tratar às infecções. Por isso, uma vez identificado o processo que conduz à formação de coágulos e da inflamação das válvulas, o ideal é eliminar a bactéria na própria boca e evitar que ela “se derrame” no organismo através de gengivas danificadas, provocando danos mais intensos e perigosos para a saúde.

SAÚDE DICAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *